Lembrar Apelido TVid

Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

  • Tópico criado por: sheld980
  • Páginas:
  • 1
  • 2
  • 3
  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 26/03/2022 às 16:57
    Autor: paseven Offline

    1o espero que a empresa XP não compre os direitos, pois essa empresa é parceira do Ronaldo e praticamente deu de graça o cruzeiro para ele.

    2o o horário dos jogos (de maneira razoável) vai ser de acordo para quais praças (paises) a liga irá ser vendida, ou seja, o jogo não vai ser as 21:30 se na praça X esse horário irá ser 6:30 da manhã e assim por diante.

    3o espero que a venda dos direitos não partilhe o futebol como é feito no campeonato carioca ou paulista, mas que respeite principalmente o PPV e que todos os jogos estejam nesse serviço, caso contrário vai ser um campeonato extremamente bagunçado para quem quiser assistir.

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 26/03/2022 às 18:39
    Autor: r2reis Offline

    Em 26/03/2022, paseven escreveu:

    1o espero que a empresa XP não compre os direitos, pois essa empresa é parceira do Ronaldo e praticamente deu de graça o cruzeiro para ele.

    2o o horário dos jogos (de maneira razoável) vai ser de acordo para quais praças (paises) a liga irá ser vendida, ou seja, o jogo não vai ser as 21:30 se na praça X esse horário irá ser 6:30 da manhã e assim por diante.

    3o espero que a venda dos direitos não partilhe o futebol como é feito no campeonato carioca ou paulista, mas que respeite principalmente o PPV e que todos os jogos estejam nesse serviço, caso contrário vai ser um campeonato extremamente bagunçado para quem quiser assistir.


    Hoje existem jogos às 11 horas justamente por causa dos mercados do exterior. A tendência é cada vez mais termos jogos disputados em horários mais ajustados ao mercado externo. Sempre vai ter aquele jogo das quartas às 21:30 para atender à Globo (se ela continuar com os direitos em TV aberta), mas será exceção.

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 12/04/2022 às 17:48
    Autor: sheld980 Offline

    Liga de Clubes do Brasil vive racha que isola Flamengo e times paulistas de negociações e vê lançamento mais distante
    10 meses depois de anunciarem uma "ruptura" com a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para a criação de uma liga independente que representasse as Séries A e B do Campeonato Brasileiro, os clubes estão rachados, a ponto de os times do Estado de São Paulo e o Flamengo ficarem isolados, e a proposta de lançamento da liga parece um sonho distante.

    Atualmente, não existe unanimidade entre os dirigentes que permita, pelo menos, o registro da nova associação, mesmo que ela ainda não tenha qualquer acordo comercial ou competição para serem gerenciados.

    Star+ e Disney+ por um preço único

    Além de todo o conteúdo ESPN, com o Combo+ você tem acesso ao melhor do entretenimento de Star+ e às franquias mais amadas de Disney+. Assine já.

    Um novo ingrediente dessa briga veio à tona nesta última semana, quando pelo menos 12 dos 20 clubes que disputarão a Série A em 2022 decidiram se unir para assinar um novo acordo comercial válido para esta edição do campeonato.

    Foi o movimento que mais evidenciou o distanciamento que existe hoje entre os dirigentes e que começou a ficar claro em fevereiro, quando foi anunciada a criação do movimento "Forte Futebol", grupo que reunia 10 equipes: América-MG, Athletico-PR, Atlético-GO, Avaí, Ceará, Coritiba, Cuiabá, Fortaleza, Goiás e Juventude.

    Na última quarta-feira (30), nove times do movimento, além de Atlético-MG e Fluminense, comunicaram para a agência Sport Promotion que não manterão com ela o contrato para exploração da venda de publicidade estática (as placas de publicidade ao redor do gramado) do Brasileirão, que começa na próxima semana.

    Os clubes se uniram ao Athletico-PR, único dos 20 times da Série A que não tem contrato com a agência, e decidiram aceitar a proposta da Brax, uma agência nova no mercado e que oferece duas condições para fechar um acordo válido por três anos: o dobro do valor pago atualmente pela Sport Promotion e a garantia de que todos os clubes terão sempre a mesma divisão de receita, sem privilégio a qualquer equipe.

    play
    1:52
    Presidente do Fortaleza diz que grupo Futebol Forte foi criado para proteger clubes que o integram em discussão sobre Liga no Brasil e diz por que a CBF não foi procuradaMarcelo Paz deu entrevista exclusiva à ESPN
    De acordo com mais de um dirigente ouvido pela reportagem, mas que pediu anonimato para passar as informações, a isonomia na divisão de receitas foi o fator que mais pesou para a migração de agência. E é isso o que mais tem feito novos clubes aderirem ao "Forte Futebol", mesmo que ainda de forma não-oficial.

    Anunciado em fevereiro, o movimento já conseguiu trazer para mais perto dele Atlético e Fluminense, e isolou cada vez mais os cinco clubes paulistas (Corinthians, Palmeiras, Red Bull Bragantino, Santos e São Paulo) e o Flamengo, que são favoráveis à criação da liga sem ter uma equidade na divisão de receitas.

    play
    1:08
    Presidente do Fortaleza, sobre papel do grupo Futebol Forte para criação de Liga no Brasil: Existem dez clubes que vão decidir em conjuntoMarcelo Paz deu entrevista exclusiva à ESPN
    O curioso, porém, é que a discussão sobre a divisão da verba se refere à entrada de um investidor na liga antes mesmo de ela ter um ativo para ser negociado. Até agora, três grupos diferentes se apresentaram como potenciais "sócios" para a nova competição. Todos eles, porém, não conseguiram fechar com todos os clubes.

    Inscreva-se no nosso canal!

    Lives, conteúdos originais e o melhor da programação da ESPN! Inscreva-se no nosso canal do YouTube, ative as notificações e não perca nenhum vídeo!

    Essa negociação tem se arrastado desde pelo menos julho de 2021, um mês após os clubes anunciarem que criariam a liga, mesmo se fosse à revelia da CBF. Desde então, o grupo CSK (Codajas Sports Kapital) tem conversado com os dirigentes, inicialmente com exclusividade por ter uma carta de intenções de investimento, e posteriormente com concorrentes, já que não conseguiu garantir que o aporte seria feito.

    Hoje, além do CSK, uma joint-venture formada pelas agências 1190 Sports e LiveMode e outro grupo liderado pelo fundo de investimentos XP conversam com os dirigentes para tentar levar um investidor para a liga. Agora, porém, a questão é saber como as pontas conseguirão ser amarradas dentro dos próprios clubes.

    Se, em fevereiro, 10 clubes tinham anunciado uma união em torno dos mesmos princípios, agora a tendência é de que o grupo tenha, pelo menos, 13 times, com a adesão cada vez mais próxima do Inter ao "Forte Futebol".

    RELACIONADO

    LaLiga entra em projeto para fundar nova liga brasileira e já tem até investidor, diz site
    38dESPN.com.br
    O Botafogo, que começa a transição para a entrada de John Textor, é quem ainda tem um futuro indefinido, mas a crença entre os dirigentes é de que o investidor americano queira um modelo de divisão de receitas próximo ao que é implementado na Premier League (ele também é dono do Crystal Palace) e das grandes ligas esportivas americanas. Neles, não há distinção da divisão de receitas pelo "tamanho" dos clubes.

    Cada vez mais próxima de completar seu primeiro ano de vida, a novela de criação da Liga de Clubes parece ainda longe de um final feliz. E o racha entre os clubes aparentemente é um caminho sem volta.
    Link com a Informação:https://www.espn.com.br/futebol/artigo/_/id/10151475/liga-clubes-brasil-vive-racha-isola-flamengo-times-paulistas-negociacoes-ve-lancamento-mais-distante

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 12/04/2022 às 21:22
    Autor: r2reis Offline

    Uns sempre se achando mais "diferenciados".

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 20/04/2022 às 18:03
    Autor: sheld980 Offline

    Nem La Liga nem Premier League! O modelo de campeonato que será "copiado" pela nova Liga Brasileira
    Link com a Informação:https://www.ofutebolero.com.br/seriea/Nem-La-Liga-nem-Premier-League-O-modelo-de-campeonato-que-sera-copiado-pela-nova-Liga-Brasileira-20220308-0010.html

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 21/04/2022 às 12:48
    Autor: RockyRFN Offline

    Em 20/04/2022, sheld980 escreveu:

    Nem La Liga nem Premier League! O modelo de campeonato que será "copiado" pela nova Liga Brasileira
    Link com a Informação:https://www.ofutebolero.com.br/seriea/Nem-La-Liga-nem-Premier-League-O-modelo-de-campeonato-que-sera-copiado-pela-nova-Liga-Brasileira-20220308-0010.html


    Me agrada esse modelo de final do campeonato, reunindo o campeão do primeiro turno contra o campeão do segundo (sem final caso o mesmo time vença ambos).

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 22/04/2022 às 00:34
    Autor: r2reis Offline

    Em 21/04/2022, RockyRFN escreveu:

    Em 20/04/2022, sheld980 escreveu:

    Nem La Liga nem Premier League! O modelo de campeonato que será "copiado" pela nova Liga Brasileira
    Link com a Informação:https://www.ofutebolero.com.br/seriea/Nem-La-Liga-nem-Premier-League-O-modelo-de-campeonato-que-sera-copiado-pela-nova-Liga-Brasileira-20220308-0010.html


    Me agrada esse modelo de final do campeonato, reunindo o campeão do primeiro turno contra o campeão do segundo (sem final caso o mesmo time vença ambos).


    Durante muito tempo o campeonato do Rio foi assim. Campeão do primeiro turno (Taça Guanabara) contra o campeão do segundo (Taça Rio). Se por acaso um terceiro time diferente fizesse mais pontos nos dois turnos, havia um triangular. Se um time ganhasse os dois turnos, não havia final.

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 22/04/2022 às 12:43
    Autor: RockyRFN Offline

    Em 22/04/2022, r2reis escreveu:

    Em 21/04/2022, RockyRFN escreveu:

    Em 20/04/2022, sheld980 escreveu:

    Nem La Liga nem Premier League! O modelo de campeonato que será "copiado" pela nova Liga Brasileira
    Link com a Informação:https://www.ofutebolero.com.br/seriea/Nem-La-Liga-nem-Premier-League-O-modelo-de-campeonato-que-sera-copiado-pela-nova-Liga-Brasileira-20220308-0010.html


    Me agrada esse modelo de final do campeonato, reunindo o campeão do primeiro turno contra o campeão do segundo (sem final caso o mesmo time vença ambos).


    Durante muito tempo o campeonato do Rio foi assim. Campeão do primeiro turno (Taça Guanabara) contra o campeão do segundo (Taça Rio). Se por acaso um terceiro time diferente fizesse mais pontos nos dois turnos, havia um triangular. Se um time ganhasse os dois turnos, não havia final.


    No caso do Brasileirão, podiam criar um evento chamado SuperFinal, em jogo único, reunindo os dois vencedores de turnos.

    Seria uma explosão de audiência, e não prejudicaria o calendário geral, pois seria apenas uma data.

    Isso para também não afetar a Copa do Brasil, que poderia seguir no modo atual, com final em ida e volta.

  • ofc1900

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 22/04/2022 às 15:12
    Autor: ofc1900 Offline

    Querem bagunçar a única coisa que está correta.

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 22/04/2022 às 18:06
    Autor: sheld980 Offline

    Com apoio da Fifa, CBF reformula diretoria e impactará competições de times
    Link com a Informação:https://www.uol.com.br/esporte/futebol/colunas/rodrigo-mattos/2022/04/14/com-apoio-da-fifa-cbf-reformula-diretoria-e-impactara-competicoes-de-times.htm

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 03/05/2022 às 18:32
    Autor: sheld980 Offline

    Libra é criada com apenas oito clubes e terá novo debate na próxima semana
    Como antecipado pela Máquina do Esporte, uma reunião em São Paulo, na manhã desta terça-feira (3), oficializou a criação da Libra, empresa que será responsável, em tese, pela organização da Liga de Clubes brasileiros.

    No entanto, apenas seis clubes da Série A do Brasileirão assinaram o acordo com a Codajas Sports Kapital (CSK), grupo liderado pelo advogado Flavio Zveiter e que tem o banco BTG como captador de investidores para a liga: os cinco paulistas (Corinthians, Palmeiras, Red Bull Bragantino, Santos e São Paulo) e o Flamengo. O Cruzeiro e a Ponte Preta, que atualmente disputam a Série B, também assinaram.

    A definição dos outros 14 times envolvidos (os dez que fazem parte do movimento Forte Futebol mais Atlético-MG, Botafogo, Fluminense e Internacional) e ainda de 18 dos 20 clubes que disputam a Série B (as únicas exceções são Cruzeiro e Ponte Preta) ficou para a semana que vem, mais especificamente para quinta-feira (12), data em que ocorrerá uma reunião na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro. Até lá, todos pretendem estudar o estatuto da Libra para determinar qual atitude será tomada por cada um.

    A Máquina do Esporte apurou que a forma como aconteceu a reunião desta terça-feira (3) não foi bem digerida pelos não assinantes. Eles querem mudar o modelo de divisão de receitas, o que, segundo eles, abriria caminho para o negócio aumentar. No caso do Athletico-PR, também há uma forte oposição à presença da Codajas e, em especial, de Flavio Zveiter.

    "Para os nossos 14 clubes, não consideramos [que a liga está criada]. Fomos surpreendidos com a pauta da reunião. A intenção seria uma conversa entre os clubes para ajustar. Aí vieram com os estatutos prontos, que os seis assinariam, e quem quisesse assinar também, que ficasse à vontade. Eu nem estudei o estatuto", afirmou Mário Celso Petraglia, presidente do Athletico-PR.

    "Fizemos uma reunião logo após o encontro [da Libra] para estudar os estatutos, ver até que ponto eles são vinculantes aos princípios que ali estavam e se não haverá espaço para ser modificado", completou o dirigente, em entrevista exclusiva à Máquina do Esporte.

    Já do lado dos seis que assinaram com a Codajas há otimismo quanto ao rumo que a Libra tomará a partir da reunião na semana que vem.

    "A constituição da liga foi realizada hoje. Não tem como se olhar para trás, só para frente. Alguns clubes não se sentiram à vontade para assinar hoje, mas acredito que até a quinta-feira que vem tudo estará resolvido", disse Leila Pereira, presidente do Palmeiras.

    "Os 40 clubes são a favor da criação da liga. A maioria não assinou por motivos burocráticos, como a necessidade de se conseguir a aprovação nos seus conselhos antes e coisas do tipo. Agora, é só acertar as arestas e dia 12, com certeza, será uma grande festa na CBF", reiterou Andrés Rueda, presidente do Santos.
    Link com a Informação:https://maquinadoesporte.com.br/futebol/libra-e-criada-com-apenas-oito-clubes-e-tera-novo-debate-na-proxima-semana

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 03/05/2022 às 21:05
    Autor: r2reis Offline

    Família Zveiter sempre aparecendo em assuntos de futebol.

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 04/05/2022 às 01:38
    Autor: Phoenix60 Offline

    Em 21/04/2022, RockyRFN escreveu:
    Me agrada esse modelo de final do campeonato, reunindo o campeão do primeiro turno contra o campeão do segundo (sem final caso o mesmo time vença ambos).



    Lembro de quando o Campeonato Carioca era exatamente assim... Ganhar o Primeiro Turno ja garantia para um time a sua vaga na final. Se o mesmo time ganhasse os 2 turnos, ja era o Campeao.

    .

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 04/05/2022 às 08:03
    Autor: r2reis Offline

    Em 04/05/2022, Phoenix60 escreveu:

    Em 21/04/2022, RockyRFN escreveu:
    Me agrada esse modelo de final do campeonato, reunindo o campeão do primeiro turno contra o campeão do segundo (sem final caso o mesmo time vença ambos).



    Lembro de quando o Campeonato Carioca era exatamente assim... Ganhar o Primeiro Turno ja garantia para um time a sua vaga na final. Se o mesmo time ganhasse os 2 turnos, ja era o Campeao.

    .



    Não foi o único...

    Se um terceiro time tivesse soma de pontos maior do que os campeões dos turnos, a disputa virava um triangular.

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 04/05/2022 às 18:27
    Autor: sheld980 Offline

    EXCLUSIVO: Libra quer times grandes ganhando, no máximo, 3,5 vezes mais do que os menores
    Fundada nesta terça-feira (3) com a adesão de apenas 8 de 40 clubes possíveis, a Libra, entidade que em tese representaria os times das Séries A e B do Campeonato Brasileiro e organizaria as duas competições, promete reduzir para 3,5 vezes a diferença entre o faturamento dos times de maior torcida com relação àqueles de menor tamanho.

    Pelo menos é isso o que prometem os seis clubes que articularam a fundação da empresa: Corinthians, Flamengo, Palmeiras, Red Bull Bragantino, Santos e São Paulo. A proposta de divisão da receita arrecadada pela liga faz parte do anexo do documento entregue na reunião desta terça-feira (3) pelos seis clubes e pela Codajas Sports Kapital (CSK), empresa que montou o projeto de estruturação da Libra.

    A ideia é que os times mais bem-remunerados, que seriam Corinthians e Flamengo, recebam, no máximo, 3,5 vezes mais do que aqueles que estão na parte mais baixa da tabela. Atualmente, a proporção é de 1 para 9, de acordo com alguns clubes ouvidos pela reportagem da Máquina do Esporte.

    "Fizemos uma reunião após o encontro para estudar os estatutos e ver até que ponto eles são vinculantes aos princípios deles [fundadores da Libra] e se não haverá espaço para algo ser conversado. Mas ficou muito ruim, foi desconfortável. A prepotência dos considerados grandes durante o encontro foi grande", disse Mário Celso Petraglia, presidente do Athletico-PR, em conversa com a Máquina do Esporte.

    Petraglia foi o maior opositor à assinatura do acordo para a criação da Libra. Principal líder do movimento Forte Futebol, o dirigente conseguiu unir os demais clubes em torno de seus questionamentos.

    "Ficou um clima de desencontro. Fomos para uma coisa [discutir a divisão de receitas de uma liga], mas eles queriam que procedêssemos de outra forma. A gente pediu que deixássemos os 20 clubes para assinar o estatuto na próxima semana em reunião na CBF, mas eles saíram de lá com a liga formada", argumentou Petraglia.

    O impasse sobre a divisão de receitas é o maior entrave para a formação da liga. Os articuladores da Libra acreditavam que, ao documentar que Corinthians e Flamengo querem reduzir a diferença de ganhos entre os clubes, os dirigentes adeririam ao projeto.

    O problema é que a proporção sugerida pela Libra é muito similar à que havia de diferença dos clubes com maior receita daqueles de menor receita e que faziam parte do Clube dos 13, entidade que representava 19 clubes, em diferentes divisões do futebol nacional. O C13 foi implodido em 2010 pelos mesmos Corinthians e Flamengo, após a entidade montar um projeto multiplataforma de transmissão de jogos que prometia reduzir a possibilidade de venda exclusiva dos direitos a um grupo de mídia.

    Desde então, os clubes negociam seus contratos para o Campeonato Brasileiro individualmente, o que criou essa diferença de arrecadação entre eles e foi a mola propulsora para se buscar uma união. Em junho do ano passado, os clubes se rebelaram contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e anunciaram que criariam uma liga, mas desde então têm tido dificuldade em chegar a um consenso de como será a divisão da receita entre eles.

    A baixa adesão dos clubes à Libra (além do Flamengo e das equipes paulistas, apenas Cruzeiro e Ponte Preta, que hoje estão na Série B, assinaram o documento para serem sócios da empresa) após a reunião desta terça-feira (3) deixou mais dúvidas do que certezas sobre o futuro da organização.

    Os 14 clubes da Série A que se recusaram a aderir à Libra prometeram, em nota divulgada na noite da mesma terça-feira (3), que estudarão nos próximos dias os estatutos propostos pela liga e de que forma poderiam aderir a ela.

    No próximo dia 12 (quinta-feira), os clubes se reunirão na sede da CBF, no Rio de Janeiro. A ideia original era de que, ali, a principal entidade do futebol brasileiro desse sua "bênção" para a formação da liga. Possivelmente, no entanto, o encontro servirá para se discutir um pouco mais sobre a real possibilidade da liga finalmente sair do papel.
    Link Com a Informação;https://maquinadoesporte.com.br/futebol/exclusivo-libra-quer-times-grandes-ganhando-no-maximo-35-vezes-mais-do-que-os-menores

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 12/05/2022 às 10:54
    Autor: sheld980 Offline

    Clubes das Séries A e B formalizam bloco e assinam contraproposta para criação da Liga Brasileira de Futebol
    A criação da Liga do Futebol Brasileiro tem sofrido entraves em suas discussões iniciais. Nesta segunda-feira, 23 clubes da primeira e segunda divisões entregaram uma nova carta-proposta, em oposição ao projeto assinado por oito clubes da Série A.

    O impasse ocorreu principalmente em razão da distribuição de receitas, que seriam distribuídas conforme o "engajamento" de cada instituição. No documento, o grupo afirmou que não irá na reunião do dia 12 de maio, na sede da CBF, e marcou um encontro para o dia 16. Veja a carta a seguir.

    E MAIS:
    Botafogo não leva gol no Brasileirão pela primeira vez com Luís Castro
    Confira os números de Mano Menezes no Internacional
    Torcida do Flamengo esgota ingressos disponíveis para jogo contra o Ceará
    São Paulo retorna de viagem e tem dia de folga visando a Copa do Brasil; Colorado preocupa
    "Diante dos últimos acontecimentos, os Clubes signatários reafirmam o interesse na formalização da Liga de futebol profissional, com o intuito de elevar o nível de qualidade do futebol brasileiro, construindo um campeonato forte, revitalizado e, notadamente, com um padrão de equanimidade nas condições de disputa.

    É preciso, porém, pontuar que não haverá Liga sem a união dos 40 (quarenta) clubes participantes das atuais Séries A e B.

    Algumas premissas devem ser observadas, tendo como referência que: (i) a Premier League divide igualmente 68% da receita, somando todos os direitos domésticos, internacionais e de marketing; (ii) as Ligas Alemã, Espanhola, Francesa e Italiana distribuem 50% da receita de forma igualitária; e (iii) a diferença de receita entre o primeiro e último clubes respeitam os seguintes limites: Inglaterra (1.6x), Itália (2.1x), Alemanha (3.2x) e Espanha (3.5x).

    Para a formalização da Liga de Clubes de futebol brasileiro, os Signatários acreditam no modelo abaixo apresentado:

    (i) Divisão de receita de 50% igualitário, 25% performance e 25% comercial, com parâmetros objetivos e mensuráveis;

    (ii) Diferença de receita entre maior e menor clube tendo como alvo o limite de 1.6 ao longo do tempo (referência Premier League), com o teto de 3.5 a partir do primeiro ano;

    (iii) Compromisso de que a Série B receba 20% dos recursos de venda de direitos de transmissão.

    Os Signatários envidarão todos os esforços possíveis para reunir os 40 (quarenta) clubes e formatar a Liga, sempre na base do diálogo e da razoabilidade, firmando também o compromisso de que, caso não haja a efetiva formalização, irão avaliar, em conjunto, a negociação dos direitos de transmissão e demais propriedades inerentes ao futebol e suas respectivas competições para os anos posteriores a 2024.

    Os Clubes informam, ainda, que no dia 16 de maio de 2022 se reunirão presencialmente no Rio de Janeiro para formalizar o compromisso em busca de uma composição equilibrada, e que, por tal razão, não se farão presentes na reunião previamente agendada na CBF, no dia 12 de maio de 2022.

    O encontro com os 8 (oito) clubes, no que depender da vontade dos Signatários, acontecerá futuramente para que seja apresentada e debatida a proposta descrita nesta carta, na tentativa de alcançar o consenso."

    Link com a Informação:https://www.lance.com.br/futebol-nacional/clubes-da-series-a-e-b-assinam-carta-proposta-para-criacao-da-liga-brasileira-de-futebol.html

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 12/05/2022 às 10:59
    Autor: r2reis Offline

    Teoricamente todos querem a liga, mas, como sempre, a discórdia está na divisão da bolada.

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 12/05/2022 às 13:02
    Autor: RockyRFN Offline

    Gostaria que fizessem uma modificação na tabela dos jogos, preferencialmente repartindo as partidas em várias faixas diferentes. Exemplos:

    Sábado:
    14:00
    16:00
    18:00
    20:00
    22:00

    Domingo:
    14:00
    16:00
    18:00
    20:00
    22:00

    Também poderia espalhar para segunda, 20:00.

    Mas o ponto é: cada jogo podendo ser visto isoladamente, sem partidas simultâneas. O Campeonato Argentino adotava essa separação até alguns anos atrás. Permite ao fã acompanhar todos os jogos, e numa maratona que dura todo o fim de semana. Muito mais interessante que ter conflito de transmissões.

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 13/05/2022 às 18:24
    Autor: sheld980 Offline

    Liga: sem unidade, clubes podem negociar direitos em blocos
    A criação de uma liga, que por princípio deveria unificar os clubes, parece ter, até agora, efeito contrário no Brasil. Os times estão divididos em duas frentes - Liga do Futebol Brasileiro (Libra) e Forte Futebol. Há também um grupo que está em stand by, sem se identificar com nenhum dos lados, mas flertando com ambos. Em discussão, o dinheiro. E a maior parte dele virá das receitas de transmissão de TV.

    Com a Liga, esses direitos serão negociados coletivamente, e os valores repassados aos clubes - nessa questão reside a falta de consenso.

    O ideal, segundo especialistas em marketing esportivo ouvidos pelo GLOBO, é que todos sentem à mesa e resolvam as suas pendências o quanto antes, pelo bem do produto. Seja para vender os direitos de transmissão ou publicidade, a Liga precisa ter credibilidade. Disputas deixam o mercado inseguro sobre a entrega do que foi prometido.

    Acionista do Botafogo: John Textor se reunirá com lideranças para debater liga

    Os clubes do bloco do Forte Futebol têm uma reunião marcada para segunda-feira, no Rio, para formatarem sua contraproposta à Libra.

    Rodrigo Capelo: A Lei do Mandante já mudou a liga

    As discordâncias entre os grupos ainda parecem distantes de serem resolvidas. Caso não haja unanimidade, os grupos se tornarão blocos que negociarão os direitos de seus associados em conjunto.

    A queda de braço entre os blocos de clubes - Foto: Arte O Globo
    A queda de braço entre os blocos de clubes - Foto: Arte O Globo

    O próprio estatuto da Libra prevê essa possibilidade. Ele diz que caso não haja uma liga, os clubes associados podem se reunir em até 60 dias, após a dissolução da Libra, para transformar a entidade em uma empresa que representará o grupo em negociações conjuntas de direitos. O Forte Futebol, apesar de não ter feito nenhum documento, também discute estratégia semelhante em suas reuniões.

    Fábio Wolff, diretor da agência de marketing esportivo Wolff Sports, diz que para o mercado o ideal é que haja um consenso sobre os direitos de transmissão, o que facilita que outros ativos de publicidade sejam vendidos. Ele afirma que é preciso deixar os patrocinadores tranquilos quanto ao que é entregue:

    - Em caso de blocos, não há a garantia que o produto vai ter o mesmo padrão. Cada grupo pode vender seus jogos para uma TV diferente, cada clube fará sua transmissão de maneira diferente e as pessoas podem se perguntar onde assistir aos jogos. Isso faz o produto perder valor. O ideal é se entenderem, designarem um porta-voz e promoverem o evento.

    Ainda não se sabe quem sairia ganhando mais com a negociação separada, já que os grupos ainda não estão fechados. Para Armênio Neto, especialista em negócios do esporte, é preciso lembrar que a próxima janela de negociações será diferente porque vai envolver não só os meios de transmissão convencionais, mas também streaming, canais de internet e o pay-per-view dos clubes. Não é possível saber se os clubes ganharão mais ou menos negociando em bloco do que sozinhos. Porém, hoje, conforme os times estão divididos, o bloco que tende a receber mais pelos direitos de transmissão é a Libra.
    Link com a Informação:https://oglobo.globo.com/esportes/futebol/noticia/2022/05/liga-sem-unidade-clubes-podem-negociar-direitos-em-blocos.ghtml

  • Avatar

    Liga de clubes amplia conversa com investidores enquanto agu

    Operadora
    Postado em: 13/05/2022 às 18:32
    Autor: sheld980 Offline

    Clubes negociam divisão de verbas da Libra e tentam entendimento
    Na semana em que houve o cancelamento da reunião que daria a chancela final à Libra, as negociações entre os clubes que não aderiram à liga brasileira de futebol seguem em busca de um entendimento. Segundo a Máquina do Esporte apurou, dirigentes dos clubes paulistas que assinaram o estatuto da Libra têm conversado com os times signatários de carta-proposta divulgada na última segunda-feira (9)pedindo divisão mais igualitária de receitas da Libra.

    Já assinaram o estatuto de criação da LibraCorinthians, Flamengo, Palmeiras, Red Bull Bragantino, Santos e São Paulo (Série A) e Cruzeiro, Ponte Preta e Vasco (Série B). O time de São Januário foi o último a aderir ao bloco, na segunda-feira (9).

    Por outro lado, 11 clubes da Série A (América-MG, Athletico-PR, Atlético-GO, Avaí, Ceará, Coritiba, Cuiabá, Fortaleza, Fluminense, Goiás e Juventude) e 12 equipes da Série B (Brusque, Chapecoense, CRB, Criciúma, CSA, Londrina, Náutico, Operário-PR, Sampaio Corrêa, Sport, Tombense e Vila Nova) fazem parte do bloco que pede verbas mais equânimes no Brasileirão. Esse grupo tem reunião marcada para a próxima segunda-feira (16), no Rio de Janeiro.

    Há ainda um grupo independente, que não se alinhou a nenhum dos lados: Atlético-MG, Bahia, Botafogo, Grêmio, Guarani, Internacional, Ituano e Novorizontino. Desses times, os principais interlocutores com ambos os blocos têm sido Atlético-MG e Internacional. Os dois são também os mais cobiçados, já que contam com bastante torcida, tradição e disputam a Série A do Brasileiro.

    O Botafogo, outro independente que está na elite do país, mantém uma posição mais distante, à espera de uma decisão de John Textor, dono da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) do clube.

    Aproximação dos clubes

    Entre os paulistas, Palmeiras, Santos e São Paulo têm realizado intensas conversas com o grupo dissidente em busca de entendimento. Por ora, o Tricolor paulista é visto como o mais aberto ao diálogo. Já o Fluminense mantém conversas com o Flamengo entre os times da Libra.

    Segundo projeções feitas por ambos os lados, as reivindicações do bloco que ainda não aderiu à liga não estariam distantes dos números apresentados no estatuto da Libra, ao menos para o ano inicial de funcionamento do novo campeonato.

    O manifesto de segunda-feira (9) pedia que o clube com maior quinhão de verba da Libra tivesse montante apenas 3,5 vezes maior do que o time com menor parcela. O grupo também quer que essa divisão passe por uma transição, cujo período não foi especificado, até que chegue a 1,6 vez a diferença entre a maior e a menor remuneração. É a mesma proporção da Premier League, da Inglaterra, vista como a ideal por essas equipes.

    Para os clubes que ainda não assinaram, um avanço do estatuto da Libra é que o documento prevê que os quatro rebaixados tenham remuneração por performance, ainda que essa seja 1/12 da verba destinada ao campeão. Atualmente, quem cai para a segunda divisão não recebe nada por desempenho.

    Distância das propostas

    No entanto, há mais pontos de discórdia na divisão de receitas. O estatuto da Libra indica que o montante arrecadado com direitos de transmissão e patrocínio seja dividido 40% de forma igualitária, 30% por performance no campeonato e 30% por engajamento. Já a carta-proposta de segunda-feira (9) sugere que essa distribuição ocorra com 50% de maneira igualitária, 25% por desempenho e 25% no que se chamou de "comercial, com parâmetros objetivos e mensuráveis".

    A carta-proposta também reivindica que 20% da verba arrecadada seja destinada à Série B, o que atraiu vários clubes da segunda divisão ao grupo. De acordo com dirigentes ouvidos, atualmente essa proporção seria de 10%. O estatuto da Libra já prevê aumento para os times da Série B, com 15% do montante destinado a eles.
    Link com a Informação:https://maquinadoesporte.com.br/futebol/clubes-negociam-divisao-de-verbas-da-libra-e-tentam-entendimento

  • Páginas:
  • 1
  • 2
  • 3
As publicações desta página são unicamente de responsabilidade de seus autores, de acordo com os Termos de Uso da TV Magazine.

Busca no Fórum

Agenda de Canais

  • Atualize-nos: informe a TV Magazine sobre sinais abertos, alterações de canais e line-ups na sua cidade, seja TV aberta ou paga.

Fale Conosco

Dúvidas, ideias, sugestões, elogios ou críticas?
Queremos ouvir você!

© 2022 - TV Magazine, todos os direitos reservados. Programação da TV fornecida por Revista Eletrônica.
Proibida a cópia parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização expressa.